Entrevista: Tariq Kamal

O Panorama do Squash no
Brasil e no
Mundo

tariq.jpg (15548 bytes)


TSN - Qual o retrato do squash no Mundo e no Brasil ?
Tariq - Em primeiro lugar, o squash está vivendo uma fase de transição, igual ao Brasil, do amador para o profissional. Muitos torneios grandes se perderam durante anos porque pessoas de alto nível ( amantes do squash, como eu ) se retiraram do esporte pela politicagem, intriga e falta de ética que fazem parte da "cultura do amadorismo". A conduta dos jogadores não tem sido das melhores nos últimos anos, mal se vê um jogador lendo um livro... Drogas, álcool, gozação e intrigas ainda predominam, pela falta de educação e cultura no meio do squash do que por vontade própria.

TSN - Por que o amadorismo predomina?
Tariq -
A grande atuação desastrosa tem sido da parte dos dirigentes que quase sempre não conhecem nada de esporte e de squash, mas precisam do poder, status e das passagens de avião. Grandes centros de squash entraram em colapso pela atuações de suas federações que desrespeitam regras, isolam as pessoas que conhecem e fazem alguma coisa, promovem seus "puxa-sacos" e quase sempre desviam verbas destinadas aos atletas.

TSN - Qual seria a verdadeira atuação dos dirigentes de Squash ?
Tariq -
Promover eventos e trabalhar com

Marketing Esportivo, em vez disso, atrapalham o nosso trabalho de promoter, treinador e empresário seja por inveja, por incompetência e medo político. A situação do Brasil em termos de Federação é uma das piores do Mundo – não fazem seletivas de jogadores, portanto, os melhores e mais jovens não têm chance, não escolhem os verdadeiros treinadores e árbitros, indo assim os "puxa-sacos". E os eventos por eles organizados são medíocres e amadores.

TSN - Quem é mais prejudicado ?
Tariq - Jogadores, patrocinadores e, principalmente o público. Calendários "fantasmas" são colocados para impressionar e nem 10% dos eventos são feitos... Não existe planejamento e organização, e a postura de arrogância e incompetência afasta boas pessoas que o meio realmente precisa.

TSN - E as federações ?
Tariq -A grande maioria das Federações não estão legalmente empossadas e dirigidas, sem eleições decentes, balanços financeiros e o mínimo de transparência, tudo isso resulta numa total perda de credibilidade. O que eu me pergunto, como estrangeiro é por que o povo e o público do squash e, principalmente os jogadores e donos de academias toleram tanta incompetência e baixaria, que desvalorizam tanto o nosso produto squash ?

anterior.gif (1826 bytes)
proxima.gif (1830 bytes)