Jornal do Clube Tijuca Maio/2000

"DE VOLTA PRA CASA... E COM MUITO CONHECIMENTO NA BAGAGEM !!!"

Vivendo, treinando e trabalhando em prol do squash, Carlos Galvão, treinador do Clube Tijuca desde 1993, desenvolveu muito seu jogo e aprendeu novas técnicas de treinamento durante os seis meses que ficou sediado em São Paulo (Out/99 a Mar/00). Iniciativa partida de seu técnico, o paquistanês Tariq Kamal, que proporcionou a Carlos usufruir e desenvolver-se em sua Academia Tariq Squash Fitness, o nosso atleta encontrou a melhor estrutura de treino da América Latina. A esperança de conquistas no Circuito Wilson Charlex Tariq Squash Tour Brasil, que premiou R$100.000,00 em 1999 e já está com força total neste ano, foi um dos motivos que sua ida. E deu certo... De 17º lugar, ele pulou para a 4ª colocação em Abril de 2000, após o vice-campeonato do I Água Crystal Open, quando fez a final com seu companheiro de equipe Ronivaldo Conceição, o melhor jogador brasileiro no Ranking Mundial nº 57.

Assistente de seu treinador nos eventos, Carlos aprendeu técnicas, táticas e treinamentos físicos que foram trazidos e adquiridos por Tariq em mais de 20 viagens cobrindo o Circuito Mundial e aprendendo com os melhores, principalmente seus compatriotas paquistaneses, as maiores referências do squash nos últimos anos. Auto-controle, agilidade mental e corporal, malícia, motivação, jogadas de efeito, "fintas", estratégia, enfim, habilidades aprendidas e desenvolvidas tanto para o jogo, como para a vida.

Todo esse trabalho vem dando resultados e, acreditando nessa parceria de sucesso, a Wilson, marca líder mundial no mercado de raquetes, patrocinadora do Circuito e da Academia, estendeu seu apoio à Carlos Galvão, que agora junta-se ao bi-campeão brasileiro Ronivaldo Conceição como atleta patrocinado pela Wilson.

Como tudo nessa vida são ciclos, fases, Carlos Galvão voltou para o Rio de Janeiro e para o nosso clube com o intuito de continuar por aqui seu desenvolvimento, passar adiante os conhecimentos adquiridos nesse "estágio", incentivar cada vez mais a prática desse esporte maravilhoso e mostrar através do eficiente exemplo de parceiros com a Wilson, Tariq Squash Fitness, Charlex, Água Crystal, entre outros que é possível investir e mostrar ao mundo os benefícios do esporte em termos de saúde, bem estar, qualidade de vida, sociabilidade e desenvolvimento mental.

QUADRAS REFORMADAS PARA RECEBER NOSSO CRAQUE

As quadras do Clube Tijuca foram reformadas e estão bem melhores para desenvolvermos novos treinos, melhores partidas e acolhermos de maneira mais social os praticantes. Esse foi o primeiro passo rumo ao 3º Milênio e aos poucos temos que trazer novas melhorias para realizarmos uma etapa nacional com as maiores feras do esporte por aqui. Esse é o objetivo do Coordenador do Circuito Wilson Charlex Tariq Squash 2000, Tariq Kamal e de seu vice-coordenador, nosso atleta e treinador, Carlos Galvão.

 


Folha de São Paulo - 22/04/00

Squash usa estratégia no jogo para mudar conceito no país

Um jogo de resistência física e estratégia. Assim pode ser definido o squash, esporte surgido na Inglaterra, no final do século passado, e que vem mudando seu conceito no país.

" O squash foi difundido de maneira equivocada no Brasil, como sendo um bom esporte só para quem quer perder calorias e reduzir o estresse" , afirma Tariq Kamal, professor da academia Tariq fitness e Squash.

Mas, segundo ele, o esporte não é só isso. " Acima de tudo é um jogo estratégico" , diz Kamal, que também é treinador de Ronivaldo Conceição, medalha de bronze no Pan-99 e campeão sul-americano de squash.

Já o campeão sul-americano master, Mariano de Oliveira, afirma que o squash é um esporte que exige "concentração e reflexo apurados do praticante".

No entanto, antes de adotar uma tática, é necessário aprender as técnicas básicas do esporte, além de aprimorar a condição física. Para especialistas da modalidade, com boa orientação isso é possível em três meses.

Em São Paulo, há muitas academias especializadas. É possível começar a jogar squash a partir dos dez anos de idade.

O squash é jogado em uma quadra de madeira com 6,40m de largura por 9,75m de comprimento (medidas oficiais da WFS, entidade máxima do squash ) e limitada por três paredes.

Na frontal há uma linha vermelha a 1,83 do chão indicado qual deve ser a direção do saque. Outra linha, a 48 cm do chão, delimitada um rodapé onde a bola não pode ser lançada. A linha a 4,57m do piso marca até onde a bola de bater. As partidas são disputadas por dois jogadores, em melhor de três ou cinco jogos. Inicialmente, os atletas disputam quem terá direito ao saque. Isso é fundamental, já que os pontos só podem ser marcados pelo jogador que estiver sacando.

O ganhador saca até que perca uma jogada para o adversário. Vence o jogo aquele que marcar 15 pontos primeiro. Quando houver empate por 14 pontos, o sacador decide pela continuação do jogo até o 15º ou o 17º ponto.

As aulas de squash, que custam cerca de R$ 40 e duram em média uma hora, são divididas em três partes. Na primeira, os alunos fazem exercícios de alongamento e aquecimento. Em seguida, o praticante aprende os golpes básicos e a movimentar-se em quadra. Após a aula, os alunos realizam nova série de exercícios de alongamento.


Lance! - 20/12/99

Termina primeiro circuito de squash

Ronivaldo Conceição foi o vencedor do primeiro Circuito Wilson Charlex Tariq Squash, que foi disputado neste final de semana, em São Paulo. Na primeira classe dos amadores, o vencedor foi Fábio Iacabone. Na segunda Fábio Cadel foi o campeão. A organização do campeonato já está se preparando para realizar o segundo, no ano que vem.


Folha de São Paulo - 19/12/99

AGENDA

SQUASH

Termina hoje a 19ª etapa do Circuito Wilson Charlex Tariq Squash, o Torneio Campeão do Ano de 1999, na academia Tariq Squash Fitness rua Embuaçu, 55, na Vila Mariana), em São Paulo. Os interessados podem obter mais informações pelo telefone 0/xx/11/539-6378.


Lance! - 19/12/99

Definidas semifinais de classes amadoras

Os semifinalistas das Classes Amadoras da última etapa do Circuito Wilson Charlex Tariq Squash 1999 já estão definidos Fábio Cadel x Ricardo Badari e Vagner Braga X Evandro Silva jogam pela 1ª Classe, pela 2ª Classe, as partidas são Eduardo Sobrosa X Fábio Iacoponi e Fábio Martino X Eduardo Zeríngota.


Lance! - 18/12/99

Ronivaldo Conceição estréia com vitória

Dois jogos na categoria profissional foram realizados ontem, na 19ª etapa do Circuito Wilson Charlex Tariq, o Torneio Campeão do ano 1999. Ronivaldo Conceição, líder do ranking brasileiro e medalha de bronze nos jogos Pan-Americanos de Winnipeg, venceu Jaime Xavier por 3 a 0. No segundo jogo, Rafael Alarcon venceu Ales Dornelas também por 3 a 0.


Lance! - 17/12/99

Etapa em São Paulo define campeão de 99

Começa hoje a 9ª e última etapa do Circuito Wilson Charlex Tariq Squash, o Torneio "Campeão de 1999". A competição será disputada nas categorias Profissional, 1ª e 2ª Classes Amadoras. Ronivaldo Conceição, campeão brasileiro e sul-americano, e bronze no Pan-Americano de Winnipeg, irá participar.


Diário Popular - 16/12/99

CURTAS

A Academia Tariq Squash Fitness realiza a partir de amanhã a 19ª etapa do Circuito Wilson Charlex de Squash, nas categorias profissional, 1ª e 2ª classes amadoras. Será a última etapa do maior circuito da América do Sul, com premiação superior a R$ 100 mi.


O Estado de São Paulo - 16/05/99

Ex-flanelinha sonha em levar o squash ao pódio no Canadá

Bicampeão brasileiro e campeão sul-americano, Roni quer voltar de Winnipeg com medalha

 

O ex-flanelinha Ronivaldo Santos Conceição, de 26 anos, integrante da delegacia do squash que vai representar o Brasil no Jogos Pan-Americanos de Winnipeg, em julho e agosto, tem a ambição de voltar do Canadá com uma medalha. Roni quer ser um exemplo de história que deu certo em um País de pouca tradição no esporte, com exceção do futebol. Aos 17 anos, Roni era guardador de carros e sonhava em jogar squash sempre que passava em frente da escola All Rackets, na Vila Olímpia, zona sul de São Paulo. Hoje, bicampeão brasileiro (em 1997 e 199/8) e campeão sul-americano ( em 98) é o destaque da equipe nacional.

Roni lembra de quando assistia aos treinos e tomava conta dos carros dos alunos. Na própria academia, teve a chance de que precisava. Foi contratado como office-boy, mas podia treinar nas horas vagas. Começou a praticar, comprovou o talento para o esporte e três meses depois de chegar à academia dava as primeiras aulas. Virou professor- ainda dá aulas para sobreviver e competir- e depois jogador. Em 1989, ganhou o primeiro campeonato.

"Ele é brasileiro mais bem colocado no ranking mundial, no 83º lugar, e está trabalhando duro para ganhar uma medalha no Pan" , afirma o paquistanês Tariq Kamal, técnico e empresário de Roni, que vive no Brasil há 20 anos. Tariq critica a Confederação Brasileira de Squash (CBS) e, entre outros comentários, acusa a entidade de não Ter feito seletiva para formar a delegação para competir o Pan-Americano de Winnipeg. A CBS teria deixado jovens talentos fora da equipe "por questões políticas".

A equipe masculina é completada por Luís Eduardo Augusto Borges, Paul Conolly e Mário de Oliveira. A feminina terá Adriana Moura, Carmem de Almeida, Flávia Roberts e Karem Redfern Goes.

Critério subjetivo – O técnico da seleção brasileira, Ricardo Ferreira, confirma que não houve seletiva nem os jogadores foram indicados de acordo com o ranking. Segundo o treinador, a CBS optou por "jogadores com maior experiência internacional", fator que ajudaria em uma competição com o Pan-Americano. O treinador, no entanto, admite que Paul e Luís Eduardo Borges poderão até ser substituídos na equipe se não tiverem condições físicas ou ritmo de prova. O teste será feito nas três etapas do Circuito Pan-Americano de Squash, duas na Colômbia, e uma no Peru, que o Brasil disputará a partir do dia 27.

Mário de Oliveira acha que o "Brasil terá um time experiente" em Winnipeg, mas não poderá tirar a medalha de ouro do Canadá, equipe que deverá Ter entre os seus integrantes o campeão mundial Johnattan Power.

O squash é praticado em uma quadra de 6,40 metros de largura por 9,75 metros de cumprimento, com uma parede frontal. É jogado por duas pessoas, que ficam lado a lado, em melhor-de-cinco sets. Cada jogador dá um toque atirando a bola contra a parede. Vence o set quem fizer 9 pontos, com pelo menos 2 de vantagem. Se houver empate em 8, o set vai até 10.


Gazeta do Rio (Gazeta Mercantil) – 15 / 16-05-99

Mundial de squash em Friburgo

O brasileiro Ronivaldo é um dos destaques na competição patrocinada pela Shell

Velocidade, preparo físico e poder de concentração. Alguns dos grandes talentos do squash estarão presentes em Friburgo, a partir desta Sexta-feira, 14, até Domingo, para a disputa de um a das etapas do circuito mundial da Professional Squash Association (PSA), patrocinada pela Shell/Select e Prefeitura de Nova Friburgo.

Disputado nas quadras do Nova Friburgo Country Club, o 1º Nova Friburgo Squash Open distribui US$ 4 mil em prêmios e conta com a presença de dez atleta estrangeiros, além do destaque brasileiro que há três anos é o melhor sul-americano no ranking mundial, na 84ª posição.

Seguindo a filosofia zen-budista de seu treinador paquistanês, Tariq Kamal, o paulista Ronivaldo Santos Conceição, 26 anos, vem subindo rapidamente os degraus do ranking, e está próximo de alcançar posição jamais ocupada por qualquer atleta do Brasil. E sua história faz acreditar que, em breve, o squash poderá ganhar seu merecido espaço no cenário esportivo brasileiro.

Desde os tempos de menino, quando trabalhava como guardador de carros na porta de uma academia de squash em São Paulo, até hoje, quando ostenta os bicampeonatos brasileiro e sul-americano no topo de um extenso currículo de vitórias em todas as categorias, foram dez anos de preparação intensa e objetiva.

"Eu morava perto da academia, e tomava conta dos carros. Algum tempo depois o dono me chamou para serviços de boy, e comecei a praticar nas horas vagas", conta Ronivaldo, com naturalidade. Assim que estreou em competições, o atleta ganhou tudo nas categorias amadoras e com 17 anos começou o trabalho sério ao lado de Tariq, representando o Brasil no Sul-Americano Juvenil do Paraguai, em 1999.

"Nada é fácil na vida, e tudo depende de aplicação", diz o jogador, antes de passar a palavra a seu treinador, um paquistanês formado em antropologia na Flórida e sociologia na USP.

"O squash é um esporte que exige o máximo das partes física e mental. Trabalhamos o zen-budismo, pai das artes marciais. A arte da guerra", dia Tariq Kamal, em referência à obra milenar de Sun Tzu, que inspira desde atletas até políticos, através dos tempos.

Entre as mais de quatro horas de treinamento diários de Ronivaldo, destacam-se longas sessões à frente do tabuleiro do jogo War, para citar um dos aspectos do método de Tariq, que está há 20 anos no Brasil e há dez entrou no universo do squash, viajando ao Paquistão – que por mais de 50 anos dominou tal esporte no mundo – para absorver a filosofia do jogo.

"O squash envolve muita estratégia, como a guerra. E nossa filosofia é nunca ser o segundo", explica, garantindo que, até o final do ano, Ronivaldo estará sem problemas entre os 45 do ranking mundial, onde nenhum brasileiro chegou.

Com o apoio da academia do treinador, a Tariq Squash Fitness, e das marcas Wilson e Charlex, o atleta poderá correr, ainda que longe de Tariq, etapas importantes do circuito mundial no exterior. É como uma bola de neve. Com os resultados, vem a atenção da mídia, os patrocínios, e a popularização. É questão de tempo", conclui Tariq, sereno.

A chave principal do 1º Nova Friburgo Squash Open começa hoje (Sexta-feira_ às 18h, com 8 jogos, no Sábado acontecem as quartas-de-final e na manhã de domingo a decisão.


A voz da Guerra – 12/ 05 /99

O melhor do squash em Nova Friburgo

Durante quatro dias as atenções de um grupo seleto de atletas estarão voltadas para Nova Friburgo. Entre os dias 13 e 16 de maio estará acontecendo o maior torneio de squash da cidade de todos os tempos. O 1 Nova Friburgo Squash Open 99. Essa competição faz parte de uma Etapa do Circuito Mundial e, também, da VIII Etapa do Circuito Wilson Charlex Tariq Squash, um circuito nacional. Estarão reunidos nesse evento algumas "feras" nacionais e mundiais do esporte. A Prefeitura de Nova Friburgo, a Academia Paulista Tariq Squash e o Nova Friburgo Country Clube (NFCC) assinam a realização do evento, que será nas quadras do clube, com entrada aberta ao público.

A empresa responsável pela organização do torneio, a Academia Tariq Squash, de São Paulo –filiada à Professional Squash Association (PSA) – e a diretoria de Squash do clube disseram que estavam sendo esperados até o dia 10, último dia do prazo para inscrições, cerca de 200 atletas inscritos, entre nacionais e internacionais, que serão divididos em três categorias: profissional, amador e juvenil. O nível do I Nova Friburgo Squash Open 99 será alto, com atletas das categorias profissional e juvenil filiados ao PSA em nível mundial. Estarão presentes jogadores vindos da Escócia, Bélgica, País de Gales, Grécia, Inglaterra, Argentina e França. Alguns dos favoritos são o Belga Stuart Cowie, 69º no ranking; Ronivaldo Santos, bicampeão brasileiro e campeão sul-americano, 84º; o inglês Adrian Grant, campeão juvenil e 122º; o friburguense Walter Meyer Karl, vice-campeão brasileiro master, 242º; e o paulista José Roberto da Silva, bicampeão master brasileiro e 241º.

Quem for assistir ao torneio deverá perder muitas calorias só de olhar. Serão realizadas inúmeras partidas que, na categoria amador, costumam levar de 20 a 30 minutos. Já na categoria profissional, a média de duração por partida aumenta e gira em torno de uma hora e meia. Essa é uma das razões pela qual o nível profissional será limitado em apenas 16 jogadores. Doze deles já foram selecionados e para decidir quem ficará com as quatro vagas restantes, será realizado um torneio seletivo, denominado Qualifier. Mais 16 atletas, dois belgas e o restante de brasileiros, estarão lutando por uma vaga, dia 13, a partir das 18h, na a primeira rodada do Qualifier Dia 14, às 12h, será dada seqüência à Segunda rodada, definindo a chave. Às 16h do dia 14 se inicia a rodada principal entre todas as categorias. Dia 15, a partir de 11h, serão disputadas as quartas-de-final, e, às 10h a semifinal. No último dia da competição, dia 16, que coincide com o 181º aniversário da cidade, serão definidos os vencedores do I Nova Friburgo Squash Open 99, com início da final as 12h e, logo após, o encerramento, previsto para as 14h, onde serão entregues os troféus e feita a divisão da premiação em dinheiro, correspondente a US$ 4 mil,. Entre os campeões de cada categoria.

O torneio foi agendado pela organização para coincidir justamente com os eventos em comemoração ao aniversário de Nova Friburgo, a fim de engrandecê-lo e criar um espírito de grande festa. Na Via Expressa, em Olaria , está acontecendo o VII Friburgo Bier Fest e no dia 14, será realizado um Concerto Sinfônico nos jardins do clube, com participação de bandas sinfônicas, grupos musicais e de dança friburguense. Por este motivo e pelo fato de projetar o nome da cidade em nível internacional, a Prefeitura Municipal entra como patrocinadora da competição, juntamente com a iniciativa privada, através da empresa Shell/Select-Nova Friburgo. Outras empresas friburguenses que estão dando apoio à organização são : Imobili, Superpão, Gaguinho’s Automóveis, Canoa da Serra Turismo e Ventura Chocolates.


Jornal da Tarde - 15/12/98

Na cidade, o circuito mundial do squash

Depois de cidades da Colômbia, México, Equador e Peru, é a vez de São Paulo sediar a última etapa sul-americano do circuito mundial da Professional Squash Association. Atletas brasileiros, argentinos, australianos, europeus e asiáticos começam a dar hoje as primeiras raquetadas em busca do título do São Paulo Open 98, organizado por Tariq Kamal. É o primeiro torneio de squash do calendário da PSA na capital paulista. O francês Julien Bonetat, 19º do mundo, é o cabeça-de-chave número 1`. Outro destaque é Stewart Boswell, 30º no ranking e campeão juvenil da Austrália. Ronivaldo Santos campeão brasileiro e sul-americano, 94º do mundo, adoeceu na véspera do torneio, mas deve participar. Dos US$10 mil destinados à premiação, o campeão recebe US$ 2 mil. O vice leva US$ 1,6mil e os outros semifinalistas, US$ 800 cada um. Os jogos, de hoje a Domingo, serão na Academia Tariq Squash, na rua Embuaçu, 55 – Vila Mariana. Informações.: 539-6378. O ingresso avulso custa R$ 50 e para o torneio todo, R$ 150, com direito a brindes e sorteios.


Gazeta Mercantil - 19 e 20/09/98

Mundial volta a São Paulo

Etapa paulista começou ontem

São Paulo volta a sediar uma etapa do circuito mundial de squash. Na academia Tariq Squash Center, na Vila Mariana, 16 jogadores disputaram o título da etapa paulistana, que distribuiu US$ 10 mil em prêmios. Há quatro anos, a cidade não recebia jogadores internaciuonais para este torneio, que faz parte do circuito sul-americano da PSA, a Associação Profissional de Jogadores.
Na abertura dos jogos, a primeira surpresa. O cabeça-de-chave número 1 do campeonato e 19º no ranking mundial, Julian Bonetat, da França, perdeu para o 94º do mundo, o suíço Reto Donatsch, que obteve sua vaga no torneio de qualificação, por 3 a 0.
Na lista dos 16 jogadores, dois são brasileiros. Ronivaldo Santos Conceição, atual campeão brasileiro e sul-americano e José Roberto da Silva, atual campeão de masters. Roni, como é conhecido, é o melhor jogador de squash do Brasil. Ele ocupa hoje a posição de número 88 no ranking mundial. Ontem, ele estrearia à noite no torneio contra o australiano Stewart Boswell, o 30º do mundo no ranking profissional.
"A caminhada de 10 quilômetros começa com o primeiro passo, já dizia o grande mestre Buda", com esta frase o paquistanês Kamal explica o seu objetivo com este torneio. Além de dono da academia, ele é técnico e empresário de Roni.
" Esta competição será feita todo ano", afirma Tariq, que com seu atleta e cliente procura difundir a filosofia zen, do budismo. "Trabalhamos pela linha kaizen, que também é usada na multinacionais japonesas", revela o paquistanês, que fez antropologia na Flórida e sociologia na USP.

Segundo esta filosofia, diz Tariq, a melhoria das atividades deve ser constante e contínua.         Segundo revelou o empresário, a competição custou US$ 40 mil para ele. "Mas, consegui várias permutas e os patrocinadores não deram, em dinheiro, mais que R$ 2.500", disse. Além da própria academia, empresas como Charlex, Wilson, Imobiliária Parque São Francisco, VipCar, Café Journal , e a Secretaria de Esportes e Turismo deram sua chancela para a realização do evento. "A federação paulista não participou da organização" completa Kamal. Segundo ele, os dirigentes muitas vezes não se preocupam em organizar torneios.
Na América do Sul, existem dois circuitos de primeiro nível no squash. Além deste mundial, que tem etapas no Brasil, Colômbia, Equador e Peru, é disputado outra série apenas para jogadores da América do Sul. " A próxima etapa é na academia em dezembro" diz Tariq.
Entre os próximos passos da caminhada, o técnico quer criar um time sul-americano para realizar desafios pelo mundo. "Na era globalizada precisamos jogar com a equipe da América do Norte ou Ásia. A disputa Brasil e Argentina não interessa mais", resumiu.


Jornal da Tarde - 16/09/988

Tariq, o paquistanês, conseguiu o seu torneio.

Com uma mescla da filosofia zen hindu, a tradição familiar e uma boa dose de determinação, o paquistanês Tariq Kamal, de 41 anos, chegou ao Brasil quase sem nada e hoje é um empresário bem-sucedido. Vindo de um país onde o squash tem muita tradição, chegou a São Paulo para fazer mestrado em Sociologia e começou a dar suas raquetadas com mais de 20 anos.

Alcançou com facilidade a sétima posição do País e se deu conta de que o nível do esporte aqui era baixo. Tariq resolveu investir, abriu uma academia e hoje treina alguns atletas que pretende colocar entre os melhores do mundo.

Revoltado com o descaso da Federação Paulista – da qual ele foi diretor técnico por quatro anos – e da Confederação Brasileira – ‘uma instituição bairrista e desorganizada’ -, Tariq resolveu organiza por conta própria o 1º São Paulo Open de Squash, válido pelo circuito mundial da PSA, de 15 a 20 de setembro: "Nenhuma federação brasileira foi macho o suficiente para fazer o torneio."


Gazeta Mercantil - 20/08/98

CURTAS

São Paulo reunirá elite do squash mundial

Os principais jogadores internacionais de squash confirmaram participação no circuito brasileiro, que se realizará, entre os dias 15 e 20 de setembro, na Academia Tariq Squash, na Vila Mariana, em São Paulo. No torneio, serão disputados pelo ranking mundial. A sensação brasileira no torneio deverá ser Ronivaldo Conceição, campeão sul americano de squash.


Universo Online- Esportes – Outros Esportes - 15h31 – 24/05/98

Brasileiro vence Sul-americano de squash

AP

De Medellim, Colômbia

O brasileiro Ronivaldo Santos e a colombiana María Teresa Castro conquistaram o Sul-americano de campeões de squash que foi disputado na cidade colombiana de Medellín

O brasileiro venceu o paraguaio Estebam Casarino por 9-2, 9-4 e 9-5 na final. A campeã feminina, María Teresa Castro derrotou na final a brasileira Adriana Moura por 2-9, 10-9, 9-0 e 9-7.


Revista Vip Exame - 05/98

Squash Cabeça

Em uma linha mais zen, o técnico de squash Tariq Kamal desenvolve na sua academia um trabalho que junta condicionamento físico, mental e social. O cuidado com o corpo fica por conta do treinamento de squash que, segundo Kamal, reúne os benefícios do atletismo, das corridas de curta distância e do tênis. No programa ele procura também mostrar como o esporte pode ajudar na disputa dentro do trabalho e na vida social. O estilo alternativo de Kamal começa na hora em que você passa pela portaria da academia. Ao invés de o aluno seguir direto para o vestiário, Kamal o convida para uma partida de dardo. "É uma maneira infalível de relaxar e esquecer os problemas deixados lá fora", diz. "Por pior que esteja o trânsito, em cinco minutos a cabeça do aluno está leve." Passada essa etapa, o aquecimento começa com saltos na cama elástica ao som de salsa e merengue. Nada sistemático, apenas seguindo o ritmo da música. Aí o aluno parte para a aula de squash. O treinamento de Kamal dá resultado. Ele em poucos anos tirou um garoto abandonado das ruas e o transformou no atual vice-campeão brasileiro de squash – Ronivaldo Santos Conceição. Nada mal.